Ferrovias

A Troika e a Extinção da Rede Ferroviária Nacional


Veio recentemente a público o plano do Governo de José Sócrates de extinção de uma parte significativa da rede ferroviária nacional. Segundo o estudo realizado pelos anteriores Ministérios das Finanças e das Obras Públicas, proposto à Troika e só agora conhecido, seria feito o encerramento de 800 km de linha ferroviária, de Norte a Sul do País, no litoral e em especial no interior, onde as linhas férreas são muitas vezes a única infraestrutura de comunicação viável, disponível para as populações.
As trechos a encerrar incluíam Corgo, Tâmega, Tua, Figueira da Foz-Pampilhosa, Guarda-Covilhã, Linha do Douro, Linha do Leste, Linha do Vouga, Cáceres e Linha do Alentejo, entre outros.
Numa altura em que se falava no avanço inevitável da linha de alta velocidade, parece-me de uma irresponsabilidade e hipocrisia inexplicáveis que ao mesmo tempo se apostasse na destruição da rede ferroviária interna e se tentasse limitar ainda mais a mobilidade interna dos Portugueses.
É compreensível que se tente poupar e suprimir todos os serviços e infraestruturas desnecessários ou supérfluos, os tempos de crise a isso obrigam. O que definitivamente não se compreende é a tentativa de instauração voluntária de calamidade pública no sistema de transportes, especialmente quando ao mesmo tempo se consideram inadiáveis serviços de TGV, esses sim, supérfluos no enquadramento financeiro actual.


Outros Artigos Interessantes:

A Criação do Sindicato dos Arquitectos
Posicionamento Óptimo de Torres de Energia Eólica
Skanska é Líder na Construção Sustentável
Dragados com Barragem de 200 milhões de euros
A Dívida Incomportável às Empresas de Construção
Padimat com resultados positivos em Moçambique
LABQUI avalia aparelhos de proteção respiratória
Seminário de Introdução à Norma Passive House

Comentários

  1. Como a REDE FERROVIÀRIA,nestes ultomos 30 anos sofreu a concorrencia da RODÒVIA,numa extensão de mais de 2800km,e ainda as antigas estradas,os clientes da CP fugiram .Confrontando o mapa de linhas e auto estradas,as grandes auto estradas com 100,200 e 300km estão ao lado das linhas.São dois meios de transporte,a dividir os clientes.A CP deve modificar todo o seu material circulante.Carruagens de dois pisos e vagons para o dobro da tonelagem.Devem reduzir os preços dos transportes perto de 20%.Os horários tem que ser bem elaborados.Não ter combóios em circulação que não sejam justificados.Com todas as linhas renovadas com travessas de betão,e algumas linhas eletrificadas ,a CP tem lucros.O grande prejuizo tem sido a conservação das linhas que precisa de muitos funcionários diáriamente.Chamo a atenção que no futuro os combóios devem circular com marchas dos 200,220 km/h o que a rodóvia não consegue.Nas zonas do interior as circulações terão de ser serviços minimos,pois as populações,tiveram de se deslocar para os grandes centros.A CP ao longo de 100 anos não evoluiu e a rodóvia foi aumentando,hoje temos mais de 10000 tires em Portugal.Talvez uma frota,superior,á da C P.Em mercadorias a Cp pode recuperar ,as mercadorias para Espanha,pois os combóios podem circular em dupla tração,apenas com tres funcionários,dois maquinistas e um chefe de combóio.Só em vencimento do pessoal,num combóio duplo,pode poupar uns 50 vencimentos.As linhas de caminho de fero do interior devem ser tenovadas,e garantir um serviço minimo ás populações.

    Por Muricio Arrais | 13 de Abril de 2012, 11:43
  2. Troika:O COMBOIO É O TRANSPORTE TERRESTRE MAIS SEGURO,CÓMODO,ECONOMICO, NÃO POLUENTE ,TRANSPORTA MAIS PASSAGEIROS E MERCADORIAS E É O MAIS SEGURO NO MUNDO PARA O TERCEIRO MILENIO.O COMBOIO É O TRANSPORTE DO FUTURO.AS 48 auto estradas 2800km é que estão a mais, a prejudicar a CP.Em 13 anos morreram 15.740 pessoas nas auto estradas.A REDE RODÓVIARIA É que devia ser extinta em parte.Em a CP pondo a circular todos os comboios de mercadorias em dupla tração,com vagons modernos para 50 ou 60t de todos os portos para a Europa em bitola 1,435m,os 10.000 tir ficam sem mercadoria para transportar é a sua morte.A Troika não sabe que a fronteira de Marvão é a melhor de Portugal para a EUROPA?O TGV FOGUETE LUSITANO,tem de circular de Lisboa Oriente para Marvão,Madrid,e Irun ou Hendaia,em bitola 1,668m a mais segura no Mundo.Os comboios em Portugal e Espanha são os mais seguros no Mundo.Não queremos comboios de alta velocidade a circular em bitola 1,435m que servia para vagonetes nas minas de carvão,em Inglaterra em 1814.Então queriam encerrar as duas melhores fronteiras á EUROPA,a de Marvão e Badajoz?A Troika não sabe que em 130 anos circularam no ramal de CÁCERES,perto de 200.000 comboios,e desde 1943 circularam perto de 51.100 comboios rapidos de Lisboa para Marvão,seguindo para Madrid e Irun.Mais de Lisboa a Entroncamento em via dupla,e de Marvão a Madride 391km tambem em via dupla,renovada em 2010,para altas velocidades.Faltam só os comboios modernos.Apenas uma composição dupla de dois pisos para 300 passageiros é o sufeciente,em tempo de crise.Bruxelas não devia ter enviado para Portugal nem um euro.O euro está muito caro custa duzentos escudos,foi um mau negocio.Ex chefe de estação e de comboios na estrela de Evora.Maurício Arrais.Abrantes.

    Por Mauricio Arrais | 19 de Dezembro de 2012, 11:52
  3. Meu bom povo:A Troika que extinga a Rede Ferroviaria Belga.Por este andar já todos os paises mandam em Portugal.Os troikanos não conhecem as linhas neste pais á beira mar,temos as linhas mais seguras do que as deles perto de 14%,as bitolas das linhas deles são de carroças de 1814.Acabar com a rede ferroviaria| Então eles não sabem que um comboio em dupla tração,pode transportar tantos passageiros ou mais do que sete boing 707?Perto de 2000 passageiros,com a maxima segurança.Devem saber que o comboio é o TRANSPORTE PARA O TERCEIRO MILENIO.Não se pode encerrar a fronteira de Marvão a melhor para a Europa no seculo vinte e um.A Espanha e França tem as cidades ligadas por comboios de alta velocidade,e Portugal tem 2800 km de auto estradas pelas serras e vales,ao lado das linhas ferreas.Foi uma politica desgraçada,que arruinou Portugal.Ex chefe de estação e de comboios na estrela de Evora.Mauricio Arrais,Abrantes.

    Por Mauricio Arrais | 4 de Janeiro de 2013, 15:48
  4. Obrigado,já sabem o meu nome e morada.Portugal investiu erradamente em 48 auto estradas 2800 km 15.740 mortos em 13 anos,os novos cemiterios .Auto estradas com 100 e 200 km ao lado das linhas ferreas,a fazer concorrencia desleal á CP,que em 150 anos nunca teve lucro.Encheram Portugal de auto estradas por montes e vales,que vão ficar sem trafego,quando a CP colocar a circular os mercadorias em dupla tração de Sines,Setubal e Lisboa,para a Europa via Marvão.Os 10.000 tir tem os dias contados,será o fim da rodovia.Ficam 2800 km de auto estradas,ao abandono espalhadas por Portugal.Que maus governantes tivemos ao longo de 30 anos,que arruinaram Portugal,depois da guerra,injusta que devia ter sido evitada.Agora em tempo de crise,os transportes não são sufecientes para a Ferrovia nem para a RODOVIA,será a falencia das duas transportadoras.As grandes auto estradas no futuro pouca utilidade terão.Ex chefe de estação e de comboios na estrela de Evora.Mauricio Arrais.Abrantes.

    Por Mauricio Arrais | 11 de Janeiro de 2013, 14:54
  5. Pedro Segadães:O comboio é o transporte terrestre mais seguro,cómodo,economico,não poluente,que transporta mais passageiros e mercadorias e mais rapido no Mundo para o terceiro milenio.As empresas para terem lucro,as linhas com travessas de betão e iletrificadas.Carruagens de dois pisos,panoramicas,e vagons com caixa para 50 ou 60t e todos os comboios circularem em dupla tração,para a Europa.O COMBOIO É O TRANSPORTE DO FUTURO.Os preços podem baixar 20%.Os 2.800 km de auto estradas são os novos cemiterios de Portugal.Em 13 anos morreram 15.740 passageiros,o cemiterio duma grande cidade.PAZ AS SUAS ALMAS.Ex chefe de estação e de comboios na estrela de Evora.Mauricio Arrais.Abrantes.

    Por Mauricio Arrais | 18 de Janeiro de 2013, 15:54
  6. Até em comentadores estamos em crise.Portugueses:No ano de 2012 morereram mais passageiros nas novas auto estradas,uns 700,do que na ferrovia em 150 anos.A CP nunca teve lucro em 150 anos,pois o estado transportou tudo quasi de graça,era a empresa das borlas.Só terá lucro com linhas modernas,carruagens todas de dois pisos,vagons com a caixa para 50 ou 60 t e os comboios procedentes dos portos todos em dupla tração.Os preços devem ser reduzidos perto de 20%,para terem novamente os clientes,que foram para a rodovia.

    Por Mauricio Arrais | 2 de Fevereiro de 2013, 11:44

Trackbacks/Pingbacks

  1. […] A Renfe, empresa espanhola de serviços de transportes ferroviários de passageiros e mercadorias que gere a rede de alta velocidade AVE, anunciou hoje uma redução importante no número de linhas. Em causa estão as ligações entre Toledo, Albacete e Cuenca, que deixarão de funcionar a partir de 1 de Julho devido à falta de procura. Estas ligações têm uma taxa de ocupação baixíssima, a rondar os 5%, transportando em média apenas 16 passageiros por dia, muito por culpa do elevado custo dos bilhetes. Desta forma, a política da Alta Velocidade sofre uma inflexão, prevendo-se que o serviço nas actuais linhas seja substituído pelo tradicional serviço Avant, de média/baixa velocidade, cerca de 50% mais barato para o utente e com uma duração de viagem apenas 20 minutos superior. Prevê-se também que o desenvolvimento de novas ligações ferroviárias seja feita com base nesta tipologia. Um caso que deve servir de reflexão para as autoridades de gestão rodoviária em Portugal, principalmente depois das notícias recentes relacionadas com a extinção da Rede Ferroviária Nacional. […]

Comentar