Estradas

A Injustiça das Portagens na Via do Infante

As portagens virtuais na A22 entram em funcionamento no início do próximo mês e entre os autarcas e gentes do Algarve aumenta a insatisfação. Após Macário Correia, Presidente da Câmara Municipal de Faro, ter afirmado que compreendia o ponto de vista do governo na introdução de portagens e que não se iria opor ao avanço do processo, o movimento anti-portagens tem prometido novas formas de luta, mais radicais, de forma a evitar mais uma injustiça para os utentes da rede viária do Algarve.
O atraso na reabilitação na EN 125, única pseudo-alternativa à Via do Infante, torna a situação ainda mais incomportável. De facto esta Estrada Nacional com um passado negro no que diz respeito a sinistralidade rodoviária não constitui uma verdadeira alternativa à Autoestrada A22. A prometida substituição dos inúmeros cruzamentos e entroncamentos por dezenas de rotundas é considerada, por alguns especialistas rodoviários, um pesadelo do ponto de vista de fluidez de tráfego e ordenamento viário.

Comentários

Sem comentários.

Comentar