Materiais de Construção

A Pele que Cuida da Saúde do Betão


A busca de métodos que permitam a monitorização contínua de estruturas de betão é uma das áreas de investigação com maior desenvolvimento nos últimos anos. Os métodos tradicionais implicam a inspecção visual de pontes, barragens e outras estruturas. Estas inspecções são lentas e caras e, em alguns casos, muito perigosas para os inspectores.
Um grupo de investigação do Massachusetts Institute Technology (MIT), formado por engenheiros civis e físicos, desenvolveu um novo método para monitorizar electronicamente, de forma contínua, o estado de conservação de estruturas. Foi criado um tecido flexível, com propriedades eléctricas e aderentes, que pode ser colocado em zonas susceptíveis de fissuração e que permite detectar estas patologias em tempo quase real.
A instalação desta espécie de pele é bastante simples, uma vez que é distribuída em rolos e pode ser colada à superfície das estruturas. Este tecido pode também ser cortado para ser adaptado a zonas de geometria pouco usual.

Deformações e extensões no betão criam uma variação na energia armazenada no tecido, o que permite dar o alerta que é transmitido a um computador ligado ao tecido. Assim este sistema, além de permitir detectar a alteração na estrutura, consegue também localizar a zona da estrutura onde ocorreu a alteração.
Este tecido polimérico é um elastómero termoplástico misturado com titânio, que é altamente sensível a pequenas variações na sua superfície.

Comentários

Sem comentários.

Comentar