Ferrovias

Espanha Reduz Rede de Alta Velocidade e Aposta nas Linhas Tradicionais


A Renfe, empresa espanhola de serviços de transportes ferroviários de passageiros e mercadorias que gere a rede de alta velocidade AVE, anunciou hoje uma redução importante no número de linhas.
Em causa estão as ligações entre Toledo, Albacete e Cuenca, que deixarão de funcionar a partir de 1 de Julho devido à falta de procura.
Estas ligações têm uma taxa de ocupação baixíssima, a rondar os 5%, transportando em média apenas 16 passageiros por dia, muito por culpa do elevado custo dos bilhetes.
Desta forma, a política da Alta Velocidade sofre uma inflexão, prevendo-se que o serviço nas actuais linhas seja substituído pelo tradicional serviço Avant, de média/baixa velocidade, cerca de 50% mais barato para o utente e com uma duração de viagem apenas 20 minutos superior. Prevê-se também que o desenvolvimento de novas ligações ferroviárias seja feita com base nesta tipologia.
Um caso que deve servir de reflexão para as autoridades de gestão rodoviária em Portugal, principalmente depois das notícias recentes relacionadas com a extinção da Rede Ferroviária Nacional.

Fontes: Renfe, El País

Comentários

  1. É mais do que natural. O AVE Madrid-Toledo demora 30 minutos e custa o dobro do comboio normal. Ao mesmo tempo destruíram a linha normal entre Aranjuez e Toledo, e agora se querem têm de ir dar a volta a Madrid (claro que näo väo, vai-se de carro). Burrada autêntica.

    E maior burrada ainda porque a estaçäo de AVE de Toledo é num sítio bloqueado, onde näo pode sequer seguir para Portugal; a linha para Portugal seguirá a 30 kms daquela.

    Entretanto, escreva-se que a ligaçäo Madrid-Cuenca era só feita num regional ranhoso e lentíssimo (3 horas), mas agora o Avant já pode andar, com a linha nova preparada para TGV; Além disso o AVE Madrid-Valencia continua a passar por Cuenca, apenas näo pára. Parará quando houver procura.

    Para Albacete häo comboios Avant frequentemente e caros que bastem, duram 01:30, näo é necessário TGV.

    A política da Alta Velocidade em Espanha näo sofre uma inflexão, apenas uma optimizaçäo. Só pára onde há procura, e muito bem. TGVs é para viagens longas, quanto mais longas melhor!

    Por Zuruspa | 10 de Outubro de 2011, 20:37
    • O comentário que fez é lógico mas pedir aos socialistas q entendam já é outra coisa, lá como cá eles levaram a Ibéria à bancarrota e na grécia tb foram socialistas, etc

      Por luis pereira | 23 de Março de 2013, 14:00
  2. Só de pensar que o louco sócrares queria encher portugalde tgv …

    Por luis pereira | 19 de Setembro de 2012, 22:24
  3. Meu Povo:Então temos boas linhas em bitola 1,668m a mais segura no Mundo de Lisboa a Marvão,um intercidades,faz o percurso a 200kn/h.Então é só mudar o nome,o TGV não fica zangado!AS linhas de Lisboa até Abrantes são de bom perfil,depois até Marvão é que tem algumas curvas mas de grandes raios.NAs linhas tradicionais do Alentejo circulam os mercadorias em dupla tração de SINES e SETUBAL para Marvão seguindo para a Europa,em bitola 1,435n.Não façam mais projetos em tempo de crise.São precisos carris para o Alentejo.Carruagens de dois pisos,vagons com o dobro da caixa,e combóios a circular.Ex chefe de estação e de combóios na estrela de Evora Mauricio Arrais.Abrantes.

    Por Mauricio Arrais | 13 de Outubro de 2012, 17:13

Responder a Mauricio Arrais